Witzel se reúne com presidente da Alerj em meio a impeachment

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2020 08h21 - Atualizado em 19/06/2020 08h23
DHAVID NORMANDO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOAs suspeitas em torno das compras emergências no Estado do Rio de Janeiro durante a pandemia da Covid-19 motivaram 14 pedidos de impedimento contra o governador

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, esteve na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) na quinta-feira (18), logo após a instalação de uma comissão especial que vai investigar se ele cometeu crime de responsabilidade, o que abria espaço para um eventual impeachment.

Witzel teve um encontro breve e reservado com o presidente da Assembleia, André Ceciliano (PT). Na ocasião, foi garantido ao governador o direito de ampla defesa nesse processo de impeachment. Um pouco antes foram escolhidos o presidente e o relator da comissão especial, formada por 25 parlamentares. Os escolhidos foram Chico Machado e Rodrigo Bacellar.

As suspeitas em torno das compras emergências no Estado do Rio de Janeiro durante a pandemia da Covid-19 motivaram 14 pedidos de impedimento contra o governador. Seis deles foram arquivados, seis não foram analisados e dois foram unificados.

O governador tem agora o período correspondente a dez sessões da Assembleia para apresentar sua defesa. Se afastado do cargo por decisão da Alerj, Witzel passará ainda por uma avaliação de outra comissão, composta por cinco deputados e cinco desembargadores. Para o impeachment serão necessários sete dos 10 votos.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga