Zara Brasil é responsabilizada por caso de trabalho escravo em 2011

  • Por Jovem Pan
  • 16/11/2017 09h02 - Atualizado em 16/11/2017 11h46
ReproduçãoEm agosto de 2011, uma ação do Ministério do Trabalho encontrou 16 trabalhadores em condições irregulares produzindo peças para a multinacional

Justiça responsabiliza Zara Brasil por caso de trabalho análogo à escravidão flagrado há 6 anos.

Em agosto de 2011, uma ação do Ministério do Trabalho encontrou 16 trabalhadores em condições irregulares produzindo peças para a multinacional.

De acordo com os fiscais, os funcionários chegavam a trabalhar 20 horas por dia em ambiente insalubre.

Desde a ocasião a marca alega que a responsabilidade é do fornecedor, a confecção AHA.

O acórdão divulgado na última terça considera impossível a Zara não conhecer as condições de trabalho dos funcionários de seus fornecedores.

O relator do caso, o desembargador Ricardo Arthur Costa Trigueiros diz haver uma “cegueira conveniente”.

A Zara Brasil recorrerá da decisão e disse em comunicado que a situação isolada de um fornecedor não reflete o sistema de monitoramento da cadeia de produção da empresa.

A decisão pode colocar a Zara na chamada “lista suja” do Ministério do Trabalho, documento que conta com o nome de organizações flagradas fazendo uso de trabalho escravo moderno.

*Informações da repórter Nanny Cox