Agentes do Ministério do Trabalho resgatam 33 trabalhadores de fazendas no interior de MG

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2018 15h15
Reprodução/Min. TrabalhoOs responsáveis pelas fazendas responderão à Justiça por essa situação

Uma operação dos agentes do Ministério do Trabalho regatou 33 trabalhadores que prestavam serviços em duas fazendas na região rural de Minas Gerais, no interior do Estado, em condições precárias e em situação análoga à escravidão. O regaste aconteceu nos dias 24 e 25 do mês passado, mas só foi divulgado nesta segunda-feira (6) pelo Ministério do Trabalho para respeitar todos os tramites legais de salvamento que ainda eram necessários.

O resgate aconteceu nas cidades de Muzambinho e Pium-Í em duas fazendas de café. As fazendas tinham todos os certificados do ramo de cafeicultura que diziam que respeitavam os rituais legais da profissão.

Entretanto, segundo os fiscais do Ministério do Trabalho, os trabalhadores moravam em residencias que não tinham a menor condição de serem habitadas. Não tinham camas, colchoes e mesas para realizar as refeiçoes. Muitas vezes comiam em mesas improvisadas, tocos de madeiras e sentados no chão.

Os trabalhadores foram contratados sem exame médico e muitos deles tinham as carteiras retidas pelos empregadores.

Os patrões também vendiam maquinários na condição de empréstimo e os empregados ficavam com um dívida eterna com os empregadores.

Todos os 33 trabalhadores estão sob custodia dos agentes do Ministério do Trabalho, que estão auxiliando como podem.

Os responsáveis pelas fazendas responderão à Justiça por essa situação.