Brasileiro que comanda a OMC admite mudanças no modelo de negociação

  • Por Tiago Muniz/Jovem Pan
  • 15/12/2017 15h38
Divulgação/OMCA estrutura da organização prevê que as negociações precisam de consenso total para avançarem

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, Roberto Azevêdo, admite que a entidade pode rever negociações por consenso absoluto.

O executivo deu a declaração depois de participar de evento na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo nesta sexta-feira.

A Argentina sediou a décima primeira conferência ministerial da OMC que terminou na quarta-feira sem grandes acordos.

A estrutura da organização prevê que as negociações precisam de consenso total para avançarem. Roberto Azevêdo diz que isso pode mudar.

“Você pode continuar com esse modelo de consenso para certas coisas e em outras coisas há um grupo grande de países que está decidindo experimentar outra forma de negociar, de conversar”, disse. “Vamos ver como essas coisas evoluem”, afirmou Azevêdo, dizendo que o movimento “ganhou muita força em Buenos Aires”.

No discurso que encerrou a conferência na Argentina, Azevêdo definiu o cenário ao fim do evento como desapontador.

O próximo encontro ministerial da OMC deve ocorrer em dois mil e dezenove.