Bruno Covas segue defendendo muro de vidro da raia da USP

  • Por Tiago Muniz/Jovem Pan
  • 02/08/2018 15h57
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDOMais uma vez um painel do muro de vidro que separa a Marginal Pinheiros e a Raia Olímpica da USP, na zona oeste, amanheceu quebrado nesta quinta. Em menos de uma semana, é a segunda vez que há danificação nas placas de vidro no local.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, defende a implantação do muro de vidro da raia olímpica da Universidade de São Paulo (USP), no Butantã, mesmo com as sucessivas quebras e demora para a conclusão da obra.

Já foram 16 painéis estilhaçados desde a inauguração parcial realizada pelo ex-prefeito e atual candidato a governador João Doria Jr. em abril.

Os sucessivos danos na estrutura seguem em apuração pela Polícia Civil; além da hipótese da vandalismo, a possibilidade de falha na construção não foi descartada.

Apesar dos problemas, o prefeito Bruno Covas afirma que a obra é um ganho para a cidade e que as ocorrências não acabam com a beleza da intervenção.

“Não vamos negar o ganho que a cidade teve com aquele muro, com a derrubada daquele espaço, o ganho com o visual. Não é um problema que ainda não foi corrigido que acaba com a beleza daquela obra como um todo. A gente mais uma vez congratula a USP por essa opção e agradece as empresas qui fizeram essa doação sem nenhuma contrapartida”, garantiu

O investimento para a construção do muro foi de trinta milhões de reais, bancados por quarenta e quatro empresas privadas, responsáveis pela obra.

A reposição dos vidros será feita por esse consórcio enquanto a construção continuar; depois disso, a manutenção fica a cargo da USP.