Caminhoneiros autônomos: greve só acaba se preço da gasolina e do diesel caírem

  • Por Jovem Pan
  • 29/05/2018 18h43
Tânia Rêgo/Agência BrasilAdotando postura bastante radical, representante da categoria afirmou que os autônomos não pretendem aceitar a proposta do Governo

Na tarde desta terça-feira (29), Wallace Landim, representante dos caminhoneiros autônomos, esteve na Câmara dos Deputados para tratar sobre a greve da categoria, que chegou ao 9° dia de paralisações. Adotando postura bastante radical, ele afirmou que os autônomos não pretendem aceitar a proposta do Governo, de reduzir em R$0,46 o preço do óleo diesel, e que a greve só vai acabar quando o preço da gasolina baixar para menos de R$ 3,15/l e o do diesel para menos de R$ 3,00/l.

As declarações contrariam o posicionamento adotado por José da Fonseca Lopes, presidente da Abcam, que falou que a categoria estava satisfeita com o acordo anunciado pelo Governo.

Landim afirmou ainda que não segue nenhum tipo de sindicato ou associação e que o Governo negociou com as pessoas erradas. Segundo ele, quando tentou conversar com os ministros Carlos Marun e Eliseu Padilha no Palácio do Planalto, foi ignorado e até esnobado.

O representante dos caminhoneiros autônomos reiterou que o grupo pretende manter a greve e não está envolvidos em qualquer movimento que peça intervenção militar, derrubada do Governo, e que é contrários a esses pedidos.

Na última segunda-feira (28), o presidente da Abcam disse que quem estava impedindo o fim da greve eram “intervencionistas” que estariam ameaçando os caminhoneiros que querem voltar a trabalhar.

*Com informações do repórter Levy Guimarães