Crise hídrica reduziu abastecimento em 15 das 27 unidades da federação

  • Por Jovem Pan
  • 26/04/2018 15h44 - Atualizado em 26/04/2018 15h55
Dnocs/DivulgaçãoPerímetro Irrigado de Baixo-Acaraú, no Ceará, uma das iniciativas para tentar vencer a seca no nordeste

A crise hídrica provocou a redução da disponibilidade de água em 15 das 27 unidades da federação em 2017. De acordo com a Pnad Contínua do IBGE, das cinco regiões do país, somente a Sudeste teve aumento na frequência de fornecimento diário.

O Centro-Oeste apresentou a maior diminuição, apesar da situação mais dramática se concentrar no Nordeste brasileiro (veja os dados por região mais abaixo).

Mais da metade dos domicílios do país foi afetada por alguma forma de racionamento no ano passado. Por outro lado, o Brasil já tem quase a totalidade das residências com água canalizada: 97%.

O professor de engenharia hidráulica da USP, José Carlos Mierzwa, explica que as regiões ainda não se recuperaram totalmente da crise de 2015.

“O que a gente tem acompanhado é que os problemas que ocorreram antes de 2015 influenciaram bastante o abastecimento dessas regiões”, explicou. “Os níveis dos reservatórios já vinham diminuindo, a demanda foi aumentando e as chuvas que aconteceram não foram o suficiente para recuperar o nível dos mananciais”, disse.

Mierzwa lembra que as condições dos reservatórios do Nordeste são as piores na comparação com as demais áreas do Brasil.

O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco (CBHSF), Anivaldo Miranda, avalia que o país precisa reduzir perdas nos encanamentos.

“Além da crise hídrica, um fator ainda mais determinante nessa instabilidade do acesso diário do brasileiro a água encanada de boa qualidade deve-se às falhas mecânicas da própria rede de distribuição de água encanada, que, no Brasil, são perdas astronômicas”, afirmou.

Vencer o desmatamento também é um meio de garantir a reposição dos aquíferos, a “água subterrânea”, explicou o presidente do CBHSF.

Anivaldo Miranda cita ainda a redução do desmatamento como forma de preservar a água.

Uma estimativa do Instituto Trata Brasil indica que 40% do recurso tratado se perde em vazamento ou fraudes, os chamados “gatos”.

Por região

O fornecimento de água diário entre 2016 e 2017, por região, aumentou apenas no sudeste:

  • aumentou de 93,3% para 94,8% no Sudeste
  • caiu de 94,8% para 81,4% no Centro-Oeste
  • caiu de 98,1% para 97,5% no Sul
  • caiu de 88,2% para 88,1% no Norte
  • caiu de 66,6% para 66% no Nordeste