Inflação deve fechar ano abaixo do piso pela 1ª vez, vê economista

  • Por Jovem Pan
  • 08/12/2017 16h05 - Atualizado em 08/12/2017 16h05
Tânia Rêgo/Agência BrasilInflação alta é explicada pelo aumento do consumo interno, valorização do dólar e crescimento da demanda internacional por commodities

O economista Luiz Roberto Cunha, da PUC-RJ, analisou os mais recentes números da inflação, divulgados pelo IPCA nesta sexta-feira (8).

“A inflação continua rodando abaixo do piso da meta. Possivelmente vai fechar o ano abaixo do piso”, avalia Cunha. Para ficar acima dos 3% da meta,  o economista estima que o IPCA de novembro teria que ficar em 0,50%. Mas ele prevê que “dificilmente vai fechar dezembro acima do 0,30%”.

Caso a projeção se confirme, o Banco Central terá de produzir uma carta justificando ao mercado, ao ministro da Fazenda e à sociedade por que a inflação ficou abaixo do piso da meta por ele mesmo estabelecida. Seria a primeira vez na história do sistema de metas em que isso ocorreria.

Cunha explica que todo mês o BC foi surpreendido com a inflação dos alimentos. Em 2017, a alimentação em domicílio teve inflação positiva em apenas três meses. Nos outros meses, houve deflação.

Ouça a entrevista completa de Luiz Roberto Cunha ao Jornal Jovem Pan: