Mais da metade dos venezuelanos que entraram no Brasil já deixaram o País

  • Por Jovem Pan
  • 17/07/2018 15h15
ACNUR/Boris HegerVenezuelanos entram no Brasil por Roraima, a principal porta de acesso do país vizinho em crise

O ministro da Casa Civil Eliseu Padilha divulgou em seu Facebook que mais da metade dos venezuelanos que entraram no Brasil pela fronteira de Pacaraima, em Roraima, desde 2017, já deixaram o País.

Entre 2017 e 2018, entraram pela fronteira de Pacaraima (RR) 127.778 venezuelanos, sendo que 68.968 saíram do País. Destes, 47.855 deixaram o território brasileiro por fronteira terrestre, enquanto 21.113 pegaram voos internacionais.

Dentre os venezuelanos que deixam o País por via terrestre, 66% voltam à Venezuela via Pacaraima; 15% pela Ponte Tancredo Neves, em Foz do Iguaçu (PR); 6% via Guajará-Mirim, em Rondônia; 6% por Uruguaiana (RS); e 7% em outras localidades. Por via aérea, as principais rotas de saída são os aeroportos de Guarulhos (58%), Manaus (15%), Brasília (13%) e Galeão (11%).

Refúgio ou residência

Já os venezuelanos que pediram refúgio ou residência no Brasil somam 56,7 mil entre 2015 e junho de 2018.

Durante o período, 35.540 pediram refúgio e 11,1 mil solicitaram residência. Outros 10,1 mil agendaram atendimento, sendo que 5,9 mil não retornaram.

Abrigo

Ao todo, cerca de 4 mil venezuelanos estão em nove abrigos de Roraima. Está prevista a inauguração de um novo abrigo na próxima quinta-feira (19), o Rondon 1, com capacidade para cerca de 500 pessoas.

Até agora, 690 venezuelanos voluntários já foram levados a outras cidades: São Paulo, Manaus, Cuiabá, Rio de Janeiro, Igarassu (PE) e Conde (PB). Está prevista para a próxima semana nova viagem para Brasília, Cuiabá, Rio de Janeiro e São Paulo.

Os dados foram compilados pela PF em 28 de junho e divulgados durante reunião do Comitê Federal de Assistência Emergencial, presidida pelo ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha e divulgados em sua página no Facebook.