Motorista de Camaro é policial civil, nega racha e participação em acidente fatal

  • Por Jovem Pan
  • 11/01/2018 16h05
MARCELO GONCALVES/SIGMAPRESS/ESTADÃO CONTEÚDOO policial civil e motorista do Camaro que também estaria envolvido no acidente com uma Mercedes e um EcoSport na Rodovia dos Imigrantes, fala à imprensa após se apresentar à polícia, no 3ª DP de São Bernardo do Campo (SP), nesta quinta-feira, 11.

O motorista do Camaro que estaria envolvido no acidente que tirou a vida de duas mulheres na Rodovia dos Imigrantes na noite de terça-feira (9) se apresentou à polícia nesta quinta-feira (11) e nega participação no caso.

Testemunhas apontam que uma Mercedes e um Camaro disputavam um racha na via quando a Mercedes colidiu, na altura de São Bernardo do Campo, com um Ford Ecosport que passava pelo local, com oito pessoas a bordo: quatro adultos e quatro crianças. Além das duas vítimas fatais, o motorista do Ecosport segue internado com traumatismo craniano e suspeita de trauma na coluna. Duas crianças, de 5 e 3 anos, também estão internadas ainda.

O motorista do Camaro que se apresentou em São Bernardo do Campo, de 43 anos, é um policial civil, investigador da delegacia do Cambuci, 6º DP da capital paulista. A apresentação foi negociada por intermédio de um advogado.

Ele prestou depoimento e disse que não houve racha. O motorista do Camaro afirma também que não viu o acidente e tomou o conhecimento do caso pela imprensa. Como é investigado, ele foi liberado após prestar sua versão do acontecimento.

O suspeito estava no litoral e diz que subia a serra dirigindo o carro que pertencia ao filho de 20 anos. O policial disse ainda que não conhece o dono da Mercedes, André Micheletti, que segue preso preventivamente.

Micheletti afirma, por sua vez, que andava na via na velocidade máxima permitida, de 120 km/h, quando o Ecosport das famílias que voltavam da praia invadiu sua faixa sem sinalizar.

O delegado responsável pelo caso, Rui Diogo da Silva, aponta, no entanto, que o veículo estava a no mínimo R$ 180 km/h.

Imagens de câmeras de segurança foram solicitadas à Ecovias, mas a concessionária enviou em um primeiro momento filmagens de um trecho que não interessava à investigação.

Com informações do repórter Fernando Martins ao Jornal Jovem Pan: