Pesquisa revela que 59% dos brasileiros pretendem votar em Branco ou Nulo

  • Por Jovem Pan
  • 02/08/2018 16h51
abio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilApenas 6% dos eleitores dizem utilizar a propaganda eleitoral gratuita para se informar

Um estudo divulgado pela CNI/Ibope mostra que pelo menos 59% dos brasileiros não devem votar em ninguém para presidente da República. Segundo a pesquisa, a indecisão e a intenção de anular o voto é a mais alta das últimas cinco eleições e se devem à insatisfação com a corrupção e ao descrédito com a classe política, tendência crescente desde a explosão de escândalos de corrupção como o investigado pela Operação Lava Jato.

Com 34%, no cenário sem o ex-presidente Lula (PT), Jair Bolsonaro (PSL) é quem possui o maior número de eleitores convictos de que não mudarão o voto. Já 26% dizem que a opção por Ciro Gomes (PDT) é definitiva, enquanto que 23% apostam em Geraldo Alckmin (PSDB) e 22% em Marina Silva (Rede).

A pesquisa também avaliou o perfil dos eleitores por candidato. Bolsonaro possui a preferência de homens, jovens, população com mais anos de estudo e com renda mais elevada. Pelo menos, um em cada quatro homens deve votar em Bolsonaro (24%). Já a parcela de votos femininos do candidato é de 10%. Dos eleitores com idades entre 16 e 24 anos, 23% dizem votar no candidato do PSL.

No entanto, Bolsonaro é quem tem a maior taxa de rejeição ao lado de Fernando Collor (PTC), ambos com 32%. Seguidos por Lula (31%), Alckmin (22%), Ciro Gomes e Marina Silva (18%).

Marina Silva lidera as intenções de voto na região Nordeste no cenário sem Lula (16%), A candidata também tem a preferência do eleitorado no Norte/Centro Oeste (17%). De cada 100 mulheres, 15% devem optar pela candidata da Rede.

Migração de votos de Lula

Com o possível impugnação da candidatura de Lula, conforme a Lei da Ficha Limpa, Marina Silva é quem mais deve herdar os votos do petista. Pelo menos 16% dos eleitores de Lula dizem votar na candidata, 11% em Ciro Gomes, 7% em Jair Bolsonaro e 5% em Alckmin.

Fontes de informação

O maior tempo de aparição durante a propaganda eleitoral gratuita está entre as principais disputas dos candidatos, mas apenas 6% dos eleitores dizem utilizar este meio de comunicação para se informar sobre em quem votar. Enquanto que 10% preferem conversas com parentes e amigos. A televisão ainda é o meio mais utilizado por 62%, seguida pela internet – jornais, canais de notícias e portais – (33%). Já 26% devem buscar informações por meio das redes sociais.

A pesquisa CNI/Ibope que traça o perfil dos eleitores ouviu 2 mil pessoas em todo o país, entre os dias 21 e 24 de junho.