Presidente do PSDB de SP diz que João Doria pode judicializar candidatura

Fernando Alfredo afirmou que o ex-governador paulista deverá concorrer à presidência da República pela sigla, uma vez que o político venceu as prévias no partido

  • Por Jovem Pan
  • 16/05/2022 21h27
Reprodução/Facebook/Fernando Alfredo Fernando Alfredo, presidente do diretório do PSDB de São Paulo Presidente do diretório municipal do PSDB defende candidatura de João Doria à presidência da República

O presidente do PSDB, Fernando Alfredo, concede uma entrevista ao Jornal Jovem Pan nesta segunda-feira, 16, e alegou que há a possibilidade do ex-governador de São Paulo, João Doria, ir à Justiça para garantir que a candidatura à presidência da República. O político alegou que Doria possui “legitimidade jurídica e estatutária” para se lançar como nome tucano. “A questão da judicialização, ela pode se dar a qualquer momento se houver risco à aquilo que já foi definido pela militância do partido. Vale lembrar, foram mais de 30 mil filiados que foram às urnas definir quem seria seu candidato à presidência. Portanto, ele tem a legitimidade jurídica e estatutária dentro do partido de ser o candidato do PSDB para ser o candidato à presidência da República”, explica.

Alfredo também explicou que o bloco da terceira via – anteriormente formado por PSDB, MDB, União Brasil e Cidadania – já não encontra-se mais em um bloco e que, portanto, “não se tem mais razão de todos os partidos seguirem com essa convicção”. “União Brasil já definiu que o [deputado federal Luciano] Bivar será seu candidato, o MDB não tem uma segurança clara se a Simone [Tebet, senadora] será sua candidata à presidência da República. O MDB meramente indicou a senadora que tem o nosso respeito e carinho, mas não é algo consolidado, algo que na convenção pode mudar. Na nossa, não. Já houve a consolidação no processo de prévias no nome do João Doria e a nossa convenção será homologatória para referendar o que já foi decidido pelos seus filiados”, alegou o presidente municipal do partido.