Jucá: “foco é unir PMDB” e decisão sobre afastamento do Governo sai em até 30 dias

  • Por Jovem Pan
  • 12/03/2016 11h01
Senador Romero Jucá (PMDB-RR)

Bastante aguardada nas últimas semanas por conta da crise política, a convenção nacional do PMDB não deve definir neste sábado (12) se o partido sai ou não do Governo Dilma.

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, o vice-presidente nacional da sigla, senador Romero Jucá (RR), afirmou que tirar qualquer decisão sobre o assunto “seria prematuro”. Para o peemedebista, o foco da convenção é “unir o PMDB e definir o caminho” que será traçado.

“A convenção quer mostrar que o PMDB está completamente unido. Hoje dará um passo elegendo a nova Executiva e todos os discursos colocados aqui serão conjugados. Vamos decidir hoje que, no prazo de até 30 dias, o Diretório Nacional tomará uma decisão uníssona sobre o assunto”, explicou.

Na quarta-feira (16), o Supremo Tribunal Federal (STF) julgará os recursos sobre o rito do impeachment no Congresso. Questionado se o prazo de 30 dias do Diretório Nacional do PMDB não exigiria um posicionamento da sigla, Jucá disse que o prazo pode ser adiantado.

“Em até 30 dias o Diretório Nacional tomará a decisão, dependendo do andamento do rito isso pode ser antecipado. A partir daí, esse será um movimento que não terá dono, que vai ganhar as ruas, os partidos. O quadro do Governo é de extrema delicadeza e temos que atuar de forma equilibrada, dando passo firme em cada momento. Não vejo dificuldade no partido tomar qualquer decisão na próxima semana ou na seguinte”, reiterou.

Às vésperas da convenção nacional do partido que será realizada em Brasília, PMDB se aproximou cada vez mais do PSDB. Na quinta-feira (10) os presidentes dos dois partidos conversaram por telefone para negociar os próximos passos do “namoro”. O peemedebista Michel Temer e tucano Aécio Neves não deram detalhes da conversa, mas já teriam concluído que o governo Dilma está ruindo. Na noite de quarta-feira, após jantar na casa do senador Tasso Jereissati, do PSDB, peemedebistas anteciparam que os dois partidos deveriam andar juntos.

Já o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), defendeu nesta quinta-feira (10) que alguma proposta relacionada ao desembarque do Governo Dilma deve ser discutida pelo PMDB durante a convenção nacional do partido.

Em entrevista nesta sexta-feira (11), a presidente Dilma não quis falar sobre a possibilidade do desembarque do PMDB do Governo. “Vamos esperar a convenção em vez de a gente ficar aqui fazendo um exercício de futurologia”, declarou.