Juíza determina intimação de Alckmin após recusa em receber notificação

  • Por Jovem Pan
  • 10/01/2017 09h09

Com a venda das áreas consideradas pelo governo "inservíveis ou de pouca serventia"Geraldo Alckmin - FP

Juíza determina citação e intimação do Governador de São Paulo por não ter recebido oficial de justiça com liminar que barraria o aumento na tarifa de integração entre ônibus e metrô/trem.

Geraldo Alckmin ignorou a decisão judicial e promoveu, mesmo assim, o aumento de 14,8% no bilhete integrado. Ele alegou que não havia sido notificado da liminar.

Em certidão anexada ao processo, o oficial de Justiça afirmou que foi até o Palácio dos Bandeirantes, mas foi recebido por um assessor, pois Alckmin estaria em um compromisso particular.

Alencar Santa Braga, deputado responsável pela ação contra o Estado, responsabilizou o governo estadual pelo aumento. “O governador do Estado não respeitar a decisao do outro Poder, é o fim do Estado Democrático de Direito. O governador tinha que ter recebido, ele pode até contestar na Justiça, mas não se recusar a receber uma intimação determinada pelo Poder Judiciário”, disse.

Clodoaldo Pelissioni, secretário dos Transportes Metropolitanos defendeu o aumento das tarifas de integração porque o número de usuários das passagens unitárias é maior.

O governo disse que a liminar “coloca em risco uma equação criada para reduzir o impacto da mudança da tarifa no bolso da população.”

Com o aumento, a integração entre ônibus e o transporte sobre trilhos subiu de R$ 5,92 para R$ 6,80. O Estado diz que o preço da tarifa unitária da CPTM e Metrô pode subir de R$ 3,80 para R$ 4,05 caso a liminar seja mantida.

*Informações do repórter Felipe Palma