Justiça suspende processo contra PM que forjou morte de jovem no RJ em 2015

  • Por Jovem Pan
  • 01/06/2017 07h27
Morro da Providência - agbr

A Justiça do Rio de Janeiro decidiu suspender, nesta quarta-feira (31), um processo contra um policial militar que foi acusado de forjar a morte de um jovem no Morro da Providência em 2015.

O caso teve repercussão internacional. Moradores gravaram a cena em que um PM aparece colocando uma arma na mão de um jovem, Eduardo Felipe Santos, que já estava praticamente morto.

A decisão de suspender o processo por dois anos foi da juíza Tula Correia de Melo, da 2ª Vara Criminal do RJ, com base em pedido feito pelo Ministério Público Estadual.

Esse PM e outros comparsas na operação já tiveram a prisão revogada pela Justiça no ano passado. O MP-RJ argumentou que o pedido tem como base o Art. 89 da lei de Juizados Especiais.

No entanto, a juíza impôs condições ao PM que forjou a cena do crime: ele precisa se apresentar bimestralmente, por dois anos, para justificar suas atividades, não pode se ausentar do Estado do RJ por mais de 15 dias sem autorização e deve comunicar eventuais mudanças de endereço.

*Informações do repórter Rodrigo Viga