Legalização da maconha nos EUA não acabou com o narcotráfico, alerta especialista

  • Por Jovem Pan
  • 04/04/2017 09h26
Air crew members from Georgia's Army National Guard Counter Drug Task Force patrolled the skies north of Rome looking for marijuana grows today. Today they harvested more than 20 plants thereby keeping $40,000 of dope off the streets of Georgia. The GA NG CDTF is part of the Governor's Task Force/Drug Suppression, along with three other federal agencies and six state agencies including the GA State Patrol. The GTF supports local sheriff departments with an air team and ground team designed to find and eradicate marijuana grows. (Georgia Army National Guard photo by Maj. Will Cox/Released)Maconha (Fotos Públicas)

Legalização da maconha nos Estados Unidos não acabou com o narcotráfico, alerta o advogado Jeffrey Zinsmeister.

O americano é vice-presidente da Smart Approaches to Marijuana, que pesquisa consequências da legalização da maconha no país.

O especialista da Universidade da Flórida, falou a Izilda Alves, autora do livro Guerra Pela Vida, a Campanha contra as Drogas, do Instituto Jovem Pan.

Jeffrey Zinsmeister advertiu que a legalização da maconha em alguns estados americanos não teve efeito no combate ao tráfico de drogas.

A legalização da maconha nos Estados Unidos, em vez de tirar o poder do narcotraficante, elevou o poder de quem vende clandestinamente.

Jeffrey Zinsmeister denunciou o aumento do consumo da droga e do número de crianças internadas por comerem doces com maconha. Ele esteve em São Paulo para palestra a políticos e especialistas no tratamento de dependentes de drogas.

O advogado americano ressaltou ainda que, com a legalização, a maconha é cultivada no País e vendida sem o conhecimento das autoridades para qualquer pessoa.

Confira a reportagem completa: