Líder do PSDB afirma que Dilma não tem apoio na Câmara e que CPMF não voltará

  • Por Jovem Pan
  • 02/02/2016 09h20
Brasil, Salvador, BA. 11/08/2008. O candidato do PSDB à prefeitura de Salvador (BA), Antônio Imbassahy, fala do seu projeto de governo na loja Maçônica Grande Oriente, na capital baiana. - Crédito:LÚCIO TÁVORA/AGÊNCIA A TARDE/AE/Codigo imagem:23192Antônio Imbassahy

 Com a retomada das atividades no Congresso Nacional, a oposição promete trazer o debate pró-impeachment com força total. O líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy (BA), afirma que Dilma não tem condições de terminar o mandato: “A economia foi destruída pelo Lula, Dilma e PT. Ela (Dilma) é responsável e não dá para recuperar com ela dirigindo o país. Ela perdeu a credibilidade”. O deputado também defende o afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que segundo Imbassahy é movido por interesses pessoais e não nacionais.

Imbassahy explica que a saída da presidente pode ocorrer de duas formas: “O afastamento pode ser via impeachment, previsto na Constituição, ou também pelo TSE, que avalia as ações que apontam de maneira clara as irregularidades na campanha eleitoral da presidente com recursos de propina do petrolão”.

Na sessão inaugural da Câmara, que será realizada nesta terça-feira (02/02) às 15h, Dilma é esperada para o rito de abertura. Antônio Imbassahy aponta que, se a presidente quiser se manifestar de alguma forma na sessão, haverá uma réplica: “É bom que ela venha, mas se a ela for dado o direito de falar, nós, os líderes da oposição, também queremos falar. (…) Os deputados estão voltando do recesso, fizeram contatos nas suas bases e a situação é muito difícil, até desesperadora, com inflação, desemprego e tudo isso influencia no humor dos parlamentares, sejam de oposição ou independentes. A economia vai ser um fator de grande influência para impulsionar o impeachment”.

Sobre uma possível volta da CPMF, o deputado afirma que, sem apoio, Dilma não conseguirá aprovar mais um tributo: “A Dilma não tem liderança dentro do Congresso. O PSDB vai fazer tudo no sentido de recuperar a economia. Quanto a novos tributos, é uma falta de respeito à população, tirar mais dinheiro do contribuinte para a organização criminosa que arruinou o país. A CPMF não vai passar, vamos trabalhar para não passar nenhum tributo novo”.