Em seis meses, CET multou 1.319 motoristas que pararam em vagas de idosos e deficientes

  • Por Jovem Pan
  • 01/03/2018 12h57 - Atualizado em 01/03/2018 13h00
DanielReche/Pixabay Há seis meses a Prefeitura passou a fazer blitz em estacionamentos particulares; CET diz que fiscalização nas ruas "é permanente e continua sendo feita normalmente"

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) divulgou nesta quinta-feira (1º) um balanço seis meses após começar a fiscalizar estacionamentos particulares para flagrar motoristas que estacionam em vagas reservadas para idosos e deficientes.

No primeiro semestre de blitz, que começou em 1º de setembro do ano passado, foram aplicadas 1319 multas: 1192 para infratores que tomaram vagas de idosos e 127 para vagas de deficientes ocupadas.

A multa aplicada é de R$ 293,47 e o motorista infrator recebe sete pontos na carteira. Portanto, cerca de R$ 387 mil foram arrecadados com os autos.

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, o presidente da CET João Octaviano Neto disse que “essa autuação nos entristece porque representa uma falta de respeito com a cidadania”.

“(Respeitar as vagas) é um ato de cidadania que diz respeito às pessoas mais vulneráveis. Um idoso precisa parar (o carro) mais próximo à entrada do estabelecimento para evitar caminhadas maiores. A pessoa com deficiência precisa de uma vaga mais larga, uma vaga mais próxima, mais protegida”, afirmou.

Octaviano Neto relata casos em que “houve agressões a nossos agentes que estavam multando esses infratores” e reitera o pedido de “respeito”.

“Multa moral”

“Estamos contando com a boa participação dos shoppings, dos supermercados. Eles estão se credenciando e administrando muito bem suas vagas e estacionamentos, fazendo a sinalização”, relata ainda o presidente da CET.

Octaviano Neto disse que “muitos shoppings” que ainda não podem contar com a fiscalização dos “marronzinhos” estão aplicando uma “multa moral” a quem estaciona no lugar errado. O objetivo seria “criar uma consciência cívica nas pessoas”.

Regras e denúncia

Segundo as norma do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), os estabelecimentos particulares têm que destinar 5% das vagas para idosos e 2% para pessoas com deficiência.

Para utilização das vagas especiais, os idosos e deficientes devem possuir um cartão de estacionamento nominal específico. Quem estiver sem esse documento poderá ser autuado.

Para denunciar o uso irregular da vaga, o cidadão ou a administração do estabelecimento poderá acionar a CET pelo telefone 1188.