Maia usa reforma da Previdência para tentar reeleição e Centrão reage

  • Por Jovem Pan
  • 14/12/2016 06h38
BRA19. BRASILIA (BRASIL), 27/11/2016.- El presidente de la Cámara de Diputados, Rodrigo Maia, participa en un pronunciamiento público hoy, domingo 27 de noviembre de 2016, en Brasilia (Brasil). El presidente de Brasil, Michel Temer, anunció hoy que acordó con las directivas de la Cámara de los Diputados y del Senado intentar impedir la posible aprobación parlamentaria de algún tipo de amnistía en beneficio de corruptos. EFE/Joédson AlvesPresidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia - EFE

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, usa a votação da reforma da Previdência para se cacifar na tentativa de reeleição. O Centrão percebe e ameaça não votar nesta quarta-feira (14) a emenda na Comissão de Constituição e Justiça, como quer o Governo e Maia, que poderia criar a comissão especial sob sua influência.

O deputado Julio Delgado (PSB-MG) alertou que a reforma não pode ser votada de forma rápida: “parece que se quer entregar uma fatura muito rapidamente e isso teria reciprocidade e isso vai repercutir na vida do cidadão. Nós defendemos que a prioridade é discutir a matéria com maturidade”, disse.

O deputado Milton Monte (PR-SP), governista, defendeu a reforma previdenciária, mas quer um debate mais profundo: “é preciso garantir que as pessoas possam, no futuro, receber também suas aposentadorias”.

Rogério Rosso, líder do PSD, estranha a estratégia de Maia e disse que eleição de presidente e reforma não se misturam.

André Moura, líder do Governo, já negocia uma saída: votar a reforma previdenciária nesta quarta na CCJ e deixar a formação da comissão especial para o ano que vem.

*Informações do repórter José Maria Trindade