Mais de duas pessoas morrem a cada três minutos no País por erros hospitalares

  • Por Jovem Pan
  • 26/10/2016 07h24
médico

Uma pesquisa inédita realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais com o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar indicou que os chamados “eventos adversos” são uma das principais causas de morte dos brasileiros.

Segundo o levantamento, a cada três minutos, mais de duas pessoas morrem em hospitais do País em decorrência de um erro. As falhas podem estar na dosagem do medicamento, no uso incorreto de equipamentos e em infecções hospitalares.

O número total impressiona: em 2015, foram 434 mil mortes provocadas que poderiam ter sido evitadas.

O professor de Medicina da UFMG, Renato Couto, um dos autores do estudo, destacou que a maioria dos erros acontece na organização do trabalho. “Eles não são oriundos de negligência ou incapacidade técnica dos profissionais. A maior parte das falhas são oriundas da organização de trabalho, seja no planejamento ou nas condições estruturais”, disse.

É a primeira vez que os eventos adversos são tema de um levantamento no Brasil e a intenção dos pesquisadores é iniciar um debate no País.

O problema é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde e registra a cada 42 milhões de casos todos os anos.

Nos Estados Unidos, cerca de 400 mil pessoas morrem por causa dos eventos adversos, a terceira principal causa de mortes no país.

*Informações do repórter Victor LaRegina