Mariz de Oliveira reitera críticas à Lava Jato e Temer o descarta para Ministério

  • Por Jovem Pan
  • 27/04/2016 09h02
Antônio Cláudio Mariz de Oliveira

 Michel Temer sonda possíveis nomes para assumir o ministério da Justiça em seu governo, caso ocorra o afastamento de Dilma Rousseff. Um dos nomes mais cotados era o do advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira que, em entrevista à Jovem Pan, afirmou que pretendia assumir se fosse convocado: “Não fui convidado ainda, mas já conversei com o possivelmente futuro presidente Temer. Ele vai analisar outros nomes e dará a resposta nos próximos dias”. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, Temer descartou o nome de Mariz após entrevistas do advogado criticando a Lava Jato.

Mariz é crítico de alguns procedimentos da operação e, junto com outros advogados assinou um manifesto contra à investigação pelo desrespeito a direitos e garantias fundamentais dos acusados: “Continuo com a mesma opinião, o que não quer dizer que eu vou interferir na Lava Jato. O Moro é um juiz competente, mas existem questões que devem ser denunciadas. Tenho birra, aversão por condução coercitiva. A lei não permite. Só quando alguém é intimado não comparece. Critico também o STF, isso é da dialética processual, não da democracia”.

O advogado apoia o amplo combate à corrupção e o fortalecimento e independência da Polícia Federal: “Combate à corrupção é obrigação da Polícia Federal. Qualquer ministro que assumir deve deixar a PF agir como tem agido, com o aplauso da sociedade. Não deve mudar de atuação. (…) Os cofres foram sugados, arrombados, só que é preciso que essa ação anticorrupção seja feita dentro da lei. Quero responsabilidade, punições, como qualquer cidadão brasileiro quer”. Mariz também defende uma união das polícias estaduais e federal para combater o crime organizado e o tráfico de drogas.

Antônio Mariz é defensor de Michel Temer no STF. O vice foi citado na delação de Delcídio Amaral. O advogado também defendeu a Camargo Côrrea em 2009.

Na edição desta quarta-feira (27), Marco Antonio Villa comentou a possibilidade de ter Mariz no ministério da Justiça: