Miguel Reale Jr aponta “visão esquizofrênica” em discurso de Dilma

  • Por Jovem Pan
  • 30/08/2016 09h33
Sessão deliberativa extraordinária destinada a discussão do Parecer nº 726, de 2016, que analisa a procedência ou improcedência da Denúncia nº 1, de 2016, referente ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em discurso, jurista Miguel Reale Júnior (denunciante). Foto: Fernando Bizerra/Agência SenadoMiguel Reale Jr - Senado

Com o início da etapa precedente a votação do impeachment de Dilma no Senado nesta terça-feira (30), favoráveis e contrários ao impeachment permanecem analisando a fala da petista e suas respostas aos questionamentos levantados por senadores nesta segunda (29).

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan, um dos signatários do pedido de impedimento, o jurista Miguel Reale Jr, afirmou que Dilma fez “alegações mentirosas” ao dizer que não sabia das edições dos decretos sem autorização do Congresso.

“Ela sabia, sim. Eu fiz a pergunta e ela não respondeu. Perguntei por qual motivo ela fez um projeto de lei dizendo que a meta e o resultado fiscal não poderiam ser aqueles e depois ela baixa um decreto desrespeitando o Congresso. Ela sabia”, reiterou.

Discurso alucinante

“É um discurso alucinante. Saí muito preocupado com a visão esquizofrênica. Criou-se um universo paralelo, uma outra realidade completamente distante da realidade brasileira”, disse Reale sobre a fala de Dilma.

2º dia no Senado

Os senadores retomam nesta terça-feira os trabalhos do julgamento do impeachment. Nesta fase estão os debates entre acusação e defesa.

Os advogados Janaína Paschoal (acusação) e José Eduardo Cardozo (defesa), respectivamente, terão uma hora e meia cada para fazer suas alegações. Após essa parte, haverá espaço para mais uma hora para réplica e uma hora para tréplica. Os debates podem, portanto, durar até cinco horas.

Miguel Reale Jr destacou que é “necessário fazer essa exposição final” para mostrar pontos do discurso de Dilma e mostrar o papel do Senado.

Após defesa e acusação falarem, terá início a discussão dos senadores. Cada um terá direito a falar por dez minutos, que não podem ser prorrogados e não há direito a aparte.

O repórter Marcelo Mattos traz mais detalhes de como será o segundo dia no Senado: