Comemorando 60 anos de carreira, Stênio Garcia estrela peça sobre artes marciais

  • Por Jovem Pan
  • 29/01/2016 13h08
Divulgação<p>Ator participou do programa por telefone nesta sexta-feira (29)</p>

Referência na dramaturgia e um dos atores mais queridos, Stênio Garcia está completando mais um marco em sua carreira, já são 60 anos atuando e dando vida aos mais diversos personagens, o que traz muitas recordações.

“Lembro de todas as dificuldades que a gente passa na carreira de ator, que não é fácil, com mercado de trabalho reduzido, momentos difíceis, mas as vitórias também”, contou, em entrevista ao Morning Show nesta sexta-feira (29).

Com muitos papeis especiais ao longo de toda esta jornada, um até hoje é lembrado pelo público com muito carinho, o irreverente Bino, de “Carga Pesada“, seriado que ele dividiu a cena com Antônio Fagundes.

“Ali a gente contou a história de gente que chamávamos de heróis brasileiros, os caminhoneiros. Durante cinco anos, praticamente, participávamos de todo o processo de produção e a relação com esses caminhoneiros”.

Mas tudo isso não é a toa, foram cinco anos trabalhando no enredo da trama, que chegou ao fim em setembro de 2007, por conta da agenda atribulada dos dois protagonistas.

“Eu tenho tudo isso muito vivo, com os encontros, as reclamações que eles faziam. A verdade é que a gente organizou um pouco a classe, porque quando começamos, eles não tinham nem sindicato, hoje são organizadíssimos, então acho que coube muito ao programa, é uma vitória, acho que até a greve, que às vezes a gente reclama, são importantes, porque são as manifestações pelas reinvindicações deles”, ressaltou.

E a comemoração dos 60 anos não tinha como ser mais especial, o ator está no elenco de “O Último Lutador”, uma peça sobre uma família das artes marciais, que estreou no último final de semana no Teatro dos Quatro, no Rio de Janeiro.

Polêmica

Em meados de setembro do último ano, o ator e sua esposa, Marilene Saad, tiveram fotos íntimas vazadas e desde então ele vem protestando contra este tipo de crime cibernético.

“A gente sempre procura tirar alguma coisa positiva a respeito, de repente eu decidi pegar como bandeira e correr atrás desses elementos que utilizam do anonimato para invadir a sua privacidade. Os policiais estão investigando, mas eu acredito que vão conseguir pegar, confio que cheguem em um resultado”, completou.