Deputado diz que expôs Gentili porque cena o revoltou, mas confessa que não viu filme inteiro

Em entrevista ao Morning Show, André Fernandes afirmou que humorista usa de ‘narrativas’ para desvalidar críticas 

  • Por Jovem Pan
  • 16/03/2022 12h26
Reprodução/Jovem Pan News André Fernandes em videochamada André Fernandes foi o convidado do programa Morning Show desta quarta-feira, 16

Nesta quarta-feira, 16, o programa Morning Show, da Jovem Pan, recebeu o deputado estadual André Fernandes (PL-CE). Responsável por viralizar a cena do filme “Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola”, escrito por Danilo Gentili. O parlamentar contou que as cenas que acusa de apologia a pedofilia o chocou. “Isso me revoltou e me levou a fazer essa denúncia. Danilo disse que foi arquitetado no fim de uma tarde de domingo. Negativo, isso é uma falácia, é uma falácia que essa turma costuma sempre fazer. É apenas uma narrativa incubada”, disse. Para o deputado, mesmo que se trate de uma sátira, a produção fere o Estatuto da Criança e do Adolescente. “Quando falo crianças, digo de adolescentes. Tanto que o estatuto para crianças e adolescentes é único, o ECA. Uma coisa que nos revoltou é que é proibido produzir, reproduzir ou manipular imagens que envolva cenas de sexo explícito ou cunho pornográfico envolvendo crianças e adolescentes. Está ferindo o estatuto da criança e do adolescente.”

O parlamentar ainda associou a produção à CPMI das Fake News e defendeu-se, afirmando que pessoas de diferentes espectros políticos também se indignaram com as cenas. “São narrativas. Tem gente que me odeia que compartilhou o vídeo. Gente que nem sei se é bolsonarista e compartilhou o vídeo. Colocaram meu nome, o da Zambelli e o do ministro da Justiça no meio. Aquela cena me chocou bastante”, concluiu. Fernandes, no entanto, admitiu que não viu o filme inteiro. “Recebi essa denúncia de uma pessoa que estava assistindo ao filme, não de uma pessoa que assistiu apenas o trecho. E eu não assisti apenas 30, 40 segundos, mas 10 minutos para entender o contexto daquela cena específica.” Após a repercussão, o Ministério da Justiça alterou a classificação indicativa de “Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola” de 14 para 18 anos. Em nota, o grupo Globo, que detém direito de reprodução do longa-metragem, se posicionou contra a medida cautelar de retirada do filme dos catálogos de streaming. “Decisão ofende o princípio de liberdade de expressão, é inconstitucional e, portanto, não pode ser cumprida”, afirmou os serviços de streaming Globoplay e Telecine.

Confira na íntegra a entrevista com André Fernandes: