Dr. Filippo Pedrinola comenta sobre obesidade: “Desde pequenos somos estimulados com comida”

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2015 11h22
Divulgação<p>Médico brincou que as pessoas não querem emagrecer, querem ser emagrecidas</p>

Recentemente números divulgados pelo Ministério da Saúde deixaram médicos bem apreensivos quanto a crescente taxa de obesidade no Brasil, mais da metade da população já estaria neste grupo de risco.

Nesta segunda-feira (24), em entrevista ao Morning Show, o Dr. Filippo Pedrinola comentou sobre o papel do endócrino na saúde dos pacientes.

“O maior desafio é que você consiga de fato mudar o hábito de vida de alguma pessoa, porque emagrecer tem suas dificuldades, mas manter o peso é mais complicado, porque depende realmente de uma mudança. A partir da genética é que se estabelece o que funciona melhor para cada pessoa e até estudando-se a característica psicológica de cada um, porque o alimento é ligado a conforto, à recompensa. Desde pequenos somos estimulados com comida”.

Mesmo assim, um novo estudo promete mudar o cenário e ajudar no estímulo a quem tem dificuldade de perder peso, pois revela que além dos fatores já conhecidos, a genética também tem papel fundamental nos casos de obesidade.

“Esta descoberta é muito importante, pois abre portas. E muda completamente o conceito de que o individuo é obeso por conta própria, na verdade é uma propensão. Obesidade é uma mutação do gene que faz com que a comida seja armazenada como gordura, sem ser queimada”, garante.

O médico ainda aproveitou para reiterar que práticas saudáveis podem fazer a diferença em uma rotina sedentária.

“A obesidade é um problema multifatorial, ele depende de bons hábitos que são baseados nos pilares do bem-estar, que são eles: exercícios físicos, alimentação equilibrada, equilíbrio emocional e espiritualidade, independente de crença”, completa.