“Senna não era talentoso, ele buscou seu aperfeiçoamento”, destaca Nuno Cobra

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2017 11h45
Johnny Drum/Jovem Pan

Nuno Cobra foi um dos grandes responsáveis pelo sucesso profissional de Ayrton Senna, trabalhando no preparo físico e mental da lenda do automobilismo brasileiro e mundial, três vezes campeão da Fórmula 1. Em entrevista ao Morning Show desta quinta-feira (24), o preparador físico revelou que, diferente do que muitos pensam, Senna não tinha muito talento como piloto, mas que conquistou o seu status por meio de muita dedicação e trabalho.

“A ideia que se dá é que o Ayrton era muito talentoso. Ele era péssimo piloto na época do kart e os colegas falavam isso. O Ayrton não tinha talento e não teve facilidade. Tem que dar valor para ele pela vontade e coragem de fazer a coisa mais difícil do ser humano: desenvolver a si mesmo”, contou.

Cobra começou a trabalhar com o tricampeão da F1 quando ele tinha entre 22 e 23 anos, com todo aquele temperamento difícil pelo qual era conhecido. O senhor de 79 anos relembrou que Senna era muito frágil e tinha dificuldades de aguentar uma corrida de 25 minutos e que por isso o procurou para mudar seus hábitos e crescer tanto fisicamente quanto espiritualmente.

“Imagine então aquele garoto que chegou comigo com 23 anos, o quanto era descontrolado, totalmente frágil e estabanado, nervosos e irritado. Temos que dar valor para ele por isso. O mais forte dele era sua inteligência. Ele falava que ficava exausto correndo 25 minutos na Fórmula 3, imagine duas horas na Fórmula 1? Ele veio atrás querendo mudar”, revelou.

“O progresso maior do Ayrton se deu quando ele mostrou que estava afim mesmo de mudar completamente a vida dele. Me chocou porque percebi logo de início a sua fragilidade, mas uma vontade enorme de mudar a si mesmo”, relatou.

“Ele ainda vive nos meus sonhos”

Nuno Cobra foi alguém importante na vida de Ayrton Senna, mas o que o multicampeão significa para o preparador físico? O que o convívio com Ayrton lhe rendeu? Além de todo o retorno em forma de marketing e visibilidade, Cobra afirma que diz ter crescido como profissional pelo desafio.

“Eu devo a ela coisas extraordinárias. Ele me ajudou no aspecto do marketing, mas nada disso chega aso pés de trabalhar com uma pessoa tão difícil. Tive que buscar minhas forças morais e espirituais. Ele era complexo e difícil. Fazer uma pessoa frágil a não ter lesões foi espetacular. Ganhei muito no meu crescimento pessoal de desafio, pensar como ia ajudar uma pessoa tão frágil e que necessitava de tanta força mental e espiritual. Ele chegava a perder 4 kg numa corrida”, falou.

Além da parte profissional, Nuno lembra de Senna com muito carinho. O educador físico disse que o melhor de tudo foi ver o quanto o seu aluno o tratava com carinho e respeito. Emocionado, Cobra revela que sonha muitas vezes com o piloto e que ele ainda está muito vivo dentro dele.

“O mais bacana de tudo foi conhecer uma pessoa linda, tão cheia de vida e com vontade de aprender. Nossa maior recompensa como educador é ter alguém que nos receba e faça tudo o que a gente pede. Ele dormia na hora que precisava, acordava na hora que precisava, mastigava as quantidades certas, tomava água”, comenta. “O amor que recebi desse rapaz foi algo impressionante. Por isso tenho um grande carinho por ele. Nos meus sonhos, ele ainda está vivo. Não morreu”, concluiu.