MP abre investigação contra Haddad por suspeita de improbidade na Virada Cultural

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2016 08h27
21/05/2016- São Paulo- SP, Brasil- Virada Cultural 2016: O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), participa da apresentação dos cantores Ney Matogrosso e da sambista Alcione (a Marrom), no palco Júlio Prestes, região da Luz, no centro da capital. Foto: Fernando Pereira/ SECOMVirada Cultural 2016

 O Ministério Público abrirá uma investigação contra Fernando Haddad por suspeita de improbidade administrativa em manifestações políticas na Virada Cultural. A Promotoria do Patrimônio Público e Social vai analisar a veiculação das mensagens “Fora Temer”, “Temer Jamais” e “Vai Ter Luta” em painéis instalados nos palcos do evento.

O inquérito foi aberto pela promotora Karyna Mori, que pede explicações da Prefeitura e ainda a cópia dos contratos dos shows de alguns artistas.

A investigação teve início após representação apresentada pelo vereador Nelo Rodolfo, do PMDB. O parlamentar afirma que as manifestações políticas foram elaboradas pela própria organização do evento: “Nenhum artista usou a Virada Cultural para incitar a população contra o presidente da República. O que eu vi na Virada e foi exibido pelos jornais, emissoras de TV, pela própria Jovem Pan, fora os cartazes e painéis incitando a população com escritos “fora Temer”. Em vários bairros de São Paulo onde aconteceu a Virada estavam os painéis instalados no palco com as frases. Não percebi até agora nenhum artista que teria participado do ato político que aconteceu na cidade de São Paulo”.

Questionado sobre os protestos contra Temer durante a Virada Cultural, Haddad afirmou à época que as críticas do PMDB se tratavam de censura.

Reportagem: Anderson Costa