MP questiona polícias Civil e Militar por morte do menino Ítalo em 2016

  • Por Jovem Pan
  • 21/03/2017 11h39
Reprodução O menino

Ministério Público questiona polícias Civil e Militar na investigação da morte do menino ítalo, de 10 anos, como legítima defesa.

Em junho de 2016, numa ação policial no Morumbi, Ítalo foi morto após roubar um carro, com a ajuda de um amigo de 11 anos. O tiro que atingiu a cabeça do garoto saiu de uma arma de um PM que estava em uma moto.

Os seis policiais militares alegaram que revidaram tiros que vieram do carro conduzido por Ítalo.

Para a Polícia Civil e a Corregedoria da PM, a ação foi legítima.

O promotor Fernando Bouque, que recebeu o inquérito discordou. Ele devolveu a investigação a polícia e solicitou mais 23 diligências.

O promotor questionou a razão dos policiais militares retirarem a arma do local do crime e levarem o outro menino a sua residência e somente após 4 horas encaminhá-lo à delegacia.

O Ministério Público questiona ainda como o menino, de 1 metro e 43 centímetros poderia dirigir e atirar. Fora isso, a perícia comprovou que não havia tiro que partiu do interior do veículo.

Confira a reportagem completa de Marcelo Mattos: