MPF afirma que há provas de que dinheiro usado por Cláudia Cruz veio de suborno

  • Por Jovem Pan
  • 22/08/2016 08h04
Cláudia Cruz

Procuradores da Lava Jato acusam Cláudia Cruz de participação no esquema criminoso que desviava verbas de contratos da Petrobras.

A manifestação do Ministério Público Federal em Curitiba contra a esposa de Eduardo Cunha consta de uma resposta a uma ação dos advogados dela.

Os defensores da jornalista argumentam que as condutas imputadas a ela pelo MPF não têm ligação com os crimes apurados na Lava Jato.

Por isso, eles pedem que o processo saia das mãos da Justiça Federal em Curitiba, ou seja, de Sérgio Moro, e passe para o Rio de Janeiro.

Cláudia Cruz nega ter cometido crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas e quer o caso na justiça fluminense por morar no estado.

A promotoria na capital paranaense rebateu as afirmações ao dizer que há provas de que o dinheiro usado por Cruz veio de suborno recebido por Cunha.

O presidente afastado da Câmara teria obtido os recursos após a operação de compra pela Petrobrás de um campo de petróleo em Benin, na África.

O MPF diz ainda que “não é preciso muito esforço” para perceber que esse dinheiro foi utilizado para pagar faturas de cartões de crédito de Cláudia.

Ainda não há decisão sobre onde deve ficar o caso de Cláudia Cruz perante a justiça.

*Informações do repórter Tiago Muniz