MPF do AM recomenda medidas emergenciais para atender venezuelanos

  • Por Jovem Pan
  • 12/05/2017 09h46
AM - INDÍGENAS/VENEZUELA/MANAUS - GERAL - Grupo de aproximadamente 30 índios da etnia Warao, provenientes da Venezuela, permanecem acampados debaixo do Viaduto de Flores, próximo à rodoviária de Manaus, na região Centro-Sul, nesta segunda-feira, 8. Os indígenas começaram a cruzar a fronteira e se estabelecer no Brasil desde 2014, quando a crise política e econômica na Venezuela se agravou, provocando a falta de gêneros alimentícios, de higiene pessoal, remédios, atendimento de saúde e energia para a população. 08/05/2017 - Foto: DANILO MELLO/FOTO AMAZONAS/ESTADÃO CONTEÚDOGrupo de aproximadamente 30 índios da etnia Warao

O Ministério Público Federal do Amazonas elaborou um plano de emergência e pediu que os governos federal, estadual e municipal prestem assistência humanitária aos imigrantes venezuelanos.

Cerca de 300 índios da tribo Warao e centenas de imigrantes venezuelanos vivem de maneira precária pelas ruas de Manaus.

Entre os pedidos do MPF estão a garantia de abrigo e alimentação adequada, água potável e assistência médica básica.

Aqueles que conseguem abrigos em casas, pagam uma diária de R$ 10 a R$ 30 aos proprietários e dividem o espaço com mais 20 pessoas.

O procurador-federal dos Direitos do Cidadão Adjunto, João Akira Omoto pediu que a Polícia Federal monitore a entrada de imigrantes venezuelanos no país.

De acordo com o MPF, os governos federal estadual e municipal devem responder em até de dez dias e informar quais medidas serão adotadas

Caso não sejam atendidas, os órgãos poderão ser responsabilizados na Justiça.

*Informações do repórter Victor Moraes