No final do mês “tudo isso estará resolvido”, diz Caiado sobre impeachment

  • Por Jovem Pan
  • 04/08/2016 08h30
Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária. Em pronunciamento, senador Ronaldo Caiado (DEM-GO). Foto: Waldemir Barreto/Agência SenadoRonaldo Caiado - Agência Senado

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan, o líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), confirmou que o julgamento final do impeachment dar-se-á no final de agosto.

“[No final do mês] tudo isso estará resolvido. Os prazos são bem claros. No momento que o plenário receber a peça acusatória, teremos 48h para denunciantes e denunciados. Aí teremos dez dias corridos, como tal entre 25 e 26 de agosto a matéria entra em discussão no plenário e 28 ou 29 vota”, explicou.

Nesta quinta-feira (04), o presidente do Supremo Tribunal Federal comparece à Comissão Especial do Impeachment para, junto a líderes partidários, discutir os prazos do processo contra Dilma.

Caiado criticou o “curso lento” do processo e atribuiu o andamento às “chicanas praticadas”. “Mais de 40 testemunhas, mais de 170 relatórios apresnetados. É um rito que se dá em três momentos e estamos chegando hoje na fase final da segunda etapa para que o processo chegue ao plenário do Senado”, disse.

Na comissão desta quinta, líderes terão a palavra por cinco minutos, por ordem de inscrição, para falarem sobre o voto do relatório do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG).

Nesta quarta-feira (03), em sessão que durou cerca de cinco horas, ocorreram discussões acaloradas. Ao todo, 19 senadores falaram. Também se manifestaram o advogado de acusação João Correia Serra e o de defesa, José Eduardo Cardozo.

Antonio Anastasia citou novamente que o desrespeito à norma orçamentária é de fato um crime de responsabilidade: “a palavra crime é forte. Isso não há dúvida. Crime de responsabilidade não é crime comum. Ninguém discute que a senhora presidente não está sendo acusada em relação a sua honestidade, probidade. Estamos tratando de infrações político-constitucionais de responsabilidade no exercício da função”.