Novo membro do Conselho de Ética já foi condenado pela entidade

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2016 16h35
Eduardo CunhaEduardo Cunha

 Em mais uma demonstração de força, Eduardo Cunha trocou um integrante do Conselho de Ética que votou contra ele na decisão que posteriormente seria anulada pelo seu vice, mas que culminou na abertura do processo de cassação. O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) cedeu sua vaga para o deputado Nilton Capixaba (PTB-RO) que foi formalmente acusado de participação na “máfia dos sanguessugas”, referente a compra de ambulâncias superfaturadas com emendas parlamentares.

Capixaba foi condenado pelo próprio Conselho de Ética da Câmara e só não foi cassado no plenário porque o Congresso entrou em recesso e o mandato dele acabou. Sá, que tinha mandato no Conselho de Ética, diz que renunciou a pedido do líder do partido, o deputado Jovair Arantes, que é aliado de Cunha.

Essa movimentação muda o quadro no Conselho de Ética na Câmara, sendo que o processo contra Cunha foi aberto com o placar apertado de 11 votos contra 9. Nilton Capixaba será o primeiro conselheiro condenado pelo próprio Conselho de Ética e garante que isso em nada influenciará.

A nova manobra do presidente da câmara acontece exatamente na véspera em que ele receberá a notificação do afastamento da presidência.

Os integrantes do Conselho de Ética consideram que, sem uma ação externa, a Câmara não terá força política para julgar Cunha. O processo contra o presidente da Câmara voltou à estaca zero no Conselho recém-modificado.

Essa é a segunda troca do conselho para evitar a cassação de Cunha. A primeira foi a indicação do deputado Paulinho da Força (SD-SP).