Número de crianças vítimas de acidentes cai 31% no País

  • Por Jovem Pan
  • 31/08/2016 06h44
JL02 WASHINGTON (ESTADOS UNIDOS) 12/08/2016.- Varios niños se refrescan en una fuente del parque Yards Park contemperaturas que alcanzaron los 35 grados Centígrados en Washington DC, Estados Unidos, hoy, 12 de agosto de 2016. Washington espera la llegada de una ola de calor con temperaturas que llegarán a los 43 grados. EFE/Jim Lo ScalzoCrianças se refrescam em parque de Washington

Número de mortes de crianças em acidentes cai 31% no Brasil, entre 2001 e 2014. A informação é de um relatório elaborado pela ONG Criança Segura, baseado em dados do Ministério da Saúde.

No ano passado, foram registrados 4.316 óbitos de menores de 14 anos, enquanto em 2001, o total era de 6.690.

As ocorrências de trânsito ainda são responsáveis pela maior parte das mortes acidentais registradas e são apontadas como causa em 39% dos casos.

Os afogamentos e os sufocamentos também aparecem como formas comuns de incidentes e, somados, respondem por 42% dos falecimentos.

A coordenadora da ONG Criança Segura, Gabriela Guida de Freitas, ressaltou que apenas o acompanhamento constante de adultos pode evitar os acidentes.

“Primeira coisa é supervisionar, acompanhar as atividades. Isso não significa em prender a criança, mas conferir se não tem nada que ofereça risco. Tudo que a gente ver que pode ser perigoso, tomar uma atitude para melhorar”, disse.

Gabriela Guida de Freitas acrescentou ainda que a maior parte das mortes por acidentes poderiam ter sido evitadas. De acordo com o levantamento, os meninos estão mais sujeitos aos acidentes do que as garotas e representam, hoje, 64% das vítimas.

A pesquisa também alerta para o aumento de número de internações devido a queimaduras. Entre 2001 e 2014, o total de crianças que deram entrada em postos de atendimento após se lesionarem com fogo subiu 37%.

*Informações do repórter Victor Brown