Odebrecht é condenada a pagar multa de US$ 2,6 bilhões por repasses irregulares

  • Por Jovem Pan
  • 18/04/2017 07h46
BRA51. SAO PAULO (BRASIL), 10/04/2017.- Fotografía de archivo del 22 de diciembre de 2016, de la sede de constructora Odebrecht en la ciudad de Sao Paulo (Brasil). El grupo Odebrecht, implicado en el escándalo de corrupción en Petrobras, causó daños por valor de 5.684 millones de reales (unos 1.810 millones de dólares) en 11 contratos inflados firmados con la estatal entre 2003 y 2014, según un informe de la Policía Federal obtenido hoy, lunes 10 de abril de 2017, por varios medios locales. EFE / SEBASTIÃO MOREIRA / ARCHIVOFachada da sede da Odebrecht em São Paulo - EFE

Construtora Odebrecht é condenada a pagar multa de US$ 2,6 bilhões por pagamento de propinas.

A pena faz parte de um acordo entre a empreiteira, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, além de autoridades do Brasil e da Suíça.

Segundo o órgão norte-americano, a Odebrecht pagou US$ 788 milhões em propinas em 12 países da América Latina e África.

Deste montante, R$ 2,3 bilhões serão pagos para o Brasil, US$ 116 milhões para a Suíça e US$ 93 milhões para os Estados Unidos.

Em delação premiada, o dono da construtora afirmou que o pagamento de propinas e de caixa dois persistiu mesmo após o início da Lava Jato.

Emílio Odebrecht disse que os repasses foram interrompidos após a prisão do filho Marcelo durante a 14ª fase da Operação em junho de 2015.

O terreno citado por Emilio Odebrecht pertencia ao publicitário Duda Mendonça e foi comprado como forma de pagamento de caixa dois. A operação se referia ao trabalho efetuado pelo marqueteiro na campanha de Paulo Skaf ao governo de São Paulo em 2014.

Emílio Odebrecht afirmou que após a desistência do negócio, Duda ficou devendo dinheiro para a empreiteira.

A Jovem Pan não conseguiu contato com a defesa do publicitário.

Confira a reportagem completa de Anderson Costa: