Odebrecht irá ressarcir República Dominicana em US$ 184 milhões

  • Por Jovem Pan
  • 20/04/2017 07h16
BRA51. SAO PAULO (BRASIL), 10/04/2017.- Fotografía de archivo del 22 de diciembre de 2016, de la sede de constructora Odebrecht en la ciudad de Sao Paulo (Brasil). El grupo Odebrecht, implicado en el escándalo de corrupción en Petrobras, causó daños por valor de 5.684 millones de reales (unos 1.810 millones de dólares) en 11 contratos inflados firmados con la estatal entre 2003 y 2014, según un informe de la Policía Federal obtenido hoy, lunes 10 de abril de 2017, por varios medios locales. EFE / SEBASTIÃO MOREIRA / ARCHIVOFachada da sede da Odebrecht em São Paulo - EFE

Odebrecht fecha acordo para devolver 184 milhões de dólares à República Dominicana, valor a ser pago em oito parcelas. O compromisso foi homologado pela Procuradoria Geral do país caribenho.

O montante é o dobro do que a empresa pagou em subornos na República Dominicana entre 2001 e 2014 para conseguir contratos públicos. De acordo com o Departamento de Justiça americano, a empreiteira arcou com cerca de 92 milhões de dólares em propina no país. Em contrapartida, benefícios contratuais na quantia de 163 milhões de dólares, conforme o órgão.

Chefe do Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht, Hilberto Mascarenhas, revelou durante depoimento que, um ano após o início da Lava Jato, parte do setor foi transferida para a República Dominicana.

“O escritório para operar a área já era na República Dominicana. Eles foram no início de 2015. Marcelo impôs [que se mudasse para lá]. Ele quis evitar o risco e exigiu que para a área continuar fosse fora do Brasil”, disse.

Ao abrir escritório no país caribenho, o empresário Marcelo Odebrecht, desejava driblar o monitoramento das autoridades e manter as operações.

Nesta negociação com a República Dominicana, a Odebrecht se comprometeu a apresentar provas e fatos que envolvam corrupção no país. O acordo garante que a empreiteira mantenha projetos locais e que possa ser contratada pelo poder público.

A Odebrecht também negocia acordos com as autoridades da Colômbia, Venezuela, Equador, Panamá, Peru, Argentina, entre outros países da América Latina.

*Informações do repórter Felipe Palma