ONU vai doar equipamento para esterilização de mosquitos no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2016 13h38
Mosquitos da dengue aedes aegypti geneticamente modificados de Piracicaba - EFE

 A ONU vai doar um equipamento nuclear de US$ 800 mil ao Brasil para estimular a esterilização do mosquito transmissor do zika vírus e, assim, controlar biologicamente a reprodução do Aedes aegypti no País. O irradiador de cobalto será entregue nesta semana ao governo como um incentivo ao desenvolvimento tecnológico do método.

No acordo, a expertise é cedida pela Agência Internacional de Energia Atômica, ligada à Organização das Nações Unidas. O país, em contrapartida, precisa arcar com a montagem da biofábrica de mosquitos machos.

A técnica utiliza a radiação para tornar inférteis os insetos criados em massa e em cativeiro. Após o tratamento, eles são liberados no meio ambiente, mas não conseguem procriar, explica o vice-diretor da agência, Aldo Malavasi: “O que a gente quer é exatamente dar mais condições para que se teste isso no Brasil. É um bom lugar para testar, tem uma estrutura muito boa, tem muitos bons pesquisadores e a população está muito mais sensível nesse sentido. A gente acha que seria um bom teste. A gente ajuda em uma parte e o governo faz outra. Todo mundo sai ganhando”.

O método de controle biológico de mosquito já é usado há 50 anos em moscas e mariposas que prejudicam a agricultura. Agora a técnica está sendo adaptada para infertilizar também o Aedes aegypti. A entrega do equipamento nuclear ocorre na semana em que a diretora geral da OMS visita o Brasil. Margareth Chan desembarca em Brasília nesta terça-feira (23/02), mas também visitará o Recife, estado mais afetado pelos casos de microcefalia em bebês.

Informações de Carolina Ercolin