Operação Cartas Chilenas prende prefeita, vereador e secretário de cidade no Amazonas

  • Por Jovem Pan
  • 10/05/2016 08h01
Polícia Federal

 Maria Barroso da Costa, a prefeita de Pauini, no Amazonas, foi presa nesta segunda-feira (9) pela Operação Cartas Chilenas, da Polícia Federal, em parceria com a Controladoria-Geral da União. A prefeita filiada ao PMDB é acusada de ser a líder de uma organização criminosa que desviou cerca de R$ 15 milhões de verbas públicas de educação e de saúde.

O esquema fraudulento tinha também a participação do vereador Antônio Barreiros Venâncio (PR), e do secretário municipal de Saúde, José Augusto Salvador, que também foram presos. Outros secretários de governo e servidores da prefeitura também são suspeitos de envolvimento no caso.

Segundo a PF, o grupo teria desviado recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica, do SUS e do Distrito Sanitário Especial Indígena. A investigação constatou que das 64 licitações analisadas, 44 foram fraudadas.

O chefe da Controladoria-Geral da União no Amazonas, Marcelo Borges, informou que a denúncia partiu do Ministério Público Federal. As investigações também constataram que falsos médicos, sem registro no Conselho Regional de Medicina, atuavam em Pauini com salário médio de R$ 20 mil.

De acordo com Marcelo Borges, as ambulâncias das cidades também eram desmontadas e as peças vendidas, sendo o lucro repartido entre a organização. O chefe da CGU Amazonas disse ainda que parentes da prefeita teriam aberto empresas de fachada para ganharem licitações na prefeitura.

Os participantes do esquema vão responder pelos crimes de corrupção ativa e passiva, organização criminosa, lavagem de dinheiro, peculato, crimes de responsabilidade, dispensa indevida de licitação, falsificação de documentos públicos e exercício ilegal da medicina. Os policiais utilizaram dois aviões e um helicóptero para chegar a Pauini, que tem 10 mil habitantes e é de difícil acesso.

Reportagem: Fernando Martins