PF aponta esquema de desvios de verbas do Ministério do Esporte

  • Por Jovem Pan
  • 25/08/2016 07h02
Rio de Janeiro - A Polícia Federal e a Receita Federal deflagraram nesta manhã os trabalhos da 30ª fase da Operação Lava Jato, a operação Vício. Na foto carros da Polícia Federal chegam com malotes e computadores na sede da polícia, região portuária do Rio (Tânia Rêgo/Agência Brasil)Polícia Federal - AGBR

A Polícia Federal cumpriu, nesta quarta-feira (24), mandados de prisão e busca e apreensão na Operação Nemeus, que investiga desvios de verbas em confederações esportivas brasileiras.

O presidente da Confederação de Taekwondo, Carlos Fernandes já foi afastado preventivamente. Dirigentes da Confederação Brasileira de Tiro Esportivo também têm seus nomes envolvidos.

A ação, feita em conjunto com o Ministério Público Federal e a Controladoria Geral da União, mira convênios capitaneados por Sérgio Borges, sócio-diretor da empresa SB Marketing, com diversas entidades.

As investigações, segundo a Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros da Polícia Federal, já dura três anos. A SB Marketing ganhou pelo menos 14 contratos avaliados em R$ 26 milhões.

O presidente da Confederação Brasileira de Taekwondo recebeu uma notificação judicial. Já Sérgio Borges, foi preso preventivamente. O envolvido já foi gerente de Relações Institucionais da Confederação Brasileira de Vôlei na gestão do então presidente Ary Graça, encerrada no ano de 2014. O acusado tem seu nome relacionado a escândalos de fraudes de contratos da CBV.

Gestores de várias confederações estão sendo investigados por associação criminosa, fraudes de licitação e documentos e peculato.

A Polícia Federal apura ainda se houve cumplicidade do Ministério do Esporte e do Comitê Olímpico Brasileiro nas irregularidades, principalmente de superfaturamento de convênios bancados com recursos públicos.

*Informações do repórter Daniel Lian