Ana Paula comenta delação de Marcos Valério sobre PCC e questiona: ‘Até quando o STF vai proteger o PT’

Comentaristas do programa Os Pingos nos Is discutiram trechos inéditos da oitiva em que o publicitário detalha relação do Partido dos Trabalhadores com a facção criminosa

  • Por Jovem Pan
  • 01/07/2022 19h08 - Atualizado em 01/07/2022 20h30
BETO BARATA/ESTADÃO CONTEÚDO/AE Gustavo Costa Machado/ Agência Estado Empresário Marcos Valério acusou o Partido dos Trabalhadores de ter ligação com o PCC

Trechos inéditos da delação premiada do publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza à Polícia Federal contam detalhes sobre a relação do Partido dos Trabalhadores (PT) com a facção Primeiro Comando da Capital (PCC). Matéria publicada pela revista Veja, mostra o operador de pagamentos do Mensalão afirmando que ouviu do então secretário-geral do PT, Sílvio Pereira, as declarações. Segundo Valério, o empresário Ronan Maria Pinto chantageava o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva para não revelar detalhes de como funcionava o esquema de arrecadação ilegal de recursos, envolvendo dinheiro clandestino de empresas de ônibus, de operadores de transporte pirata e de bingos.

Em outra fala, Marcos Valério menciona o que prefeito de Santo André, Celso Daniel, assassinado em 2002, havia produzido um dossiê relatando quem estaria sendo financiado de forma ilegal. “O Celso Daniel tinha feito um dossiê mostrando quem era do PT que estava sendo financiado e quem tinha pedido para ele para dar a ajuda em Santo André, ele como prefeito. Esse dossiê sumiu”, mencionou. Ao ser questionado sobre a intenção de ter produzido o documento, Valério disse que o prefeito achava que os recursos eram para outras causas e não concordava com a destinação.

Durante sua participação no programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, a comentarista Ana Paula Henkel reforçou que as investigações devem continuar e questiona o posicionamento do Supremo Tribunal Federal (STF). “Até quando será esse caminho dessa delação bombástica delatando essa relação do PT e do PCC, até quando o STF não vai interferir e proteger o partido”, questionou a analista. “Outro questionamento é em relação ao vice Geraldo Alckmin. Diante de assuntos polêmicos, ele se cala, como aborto, política pública, Alckmin também não falou sobre isso.”