Ana Paula diz que histeria vai continuar mesmo sem CPI do MEC: ‘Comissão paralela já existe’

Comentarista do programa Os Pingos Nos Is analisou a perca de apoio e assinaturas para instauração da Comissão, mas previu meses com ‘muitos absurdos’ até a eleição em outubro

  • Por Jovem Pan
  • 11/04/2022 19h58 - Atualizado em 11/04/2022 22h09
Reprodução/Jovem Pan Ana Paula Henkel durante o programa Ana Paula Henkel durante o programa "Os Pingos nos Is"

A Comissão Parlamentar de Inquérito que mira o Ministério da Educação, chamada de CPI do MEC, perdeu três assinaturas somente neste fim de semana. Os senadores Weverton Rocha (PDT-MA), Oriovisto Guimarães (PODEMOS-PR), Styvenson Valentim (PODEMOS-RN) desistiram de apoiar a abertura da CPI e pediram a retirada de suas assinaturas da lista. Mesmo perdendo apoio, Randolfe Rodrigues disse que seguirá tentando buscar as 27 assinaturas mínimas protocolar o pedido de abertura da Comissão. Em entrevista, ele disse esperar conseguir 29 nomes. Ao falar sobre o tema, a comentarista Ana Paula Henkel, do programa Os Pingos Nos Is, disse que a histeria deverá continuar mesmo sem a instauração oficial da CPI, uma vez que, segundo ela, uma CPI paralela já existe.

“Essa CPI paralela já existe e é exatamente a oposição, o tempo todo, alimentando a velha imprensa, as falácias, as manchetes enganosas, as mentiras e a imprensa do ‘despiora’. Não é o Brasil que melhorou, é ‘o mundo que piorou’, segundo uma jornalista. Dentro desse contexto, apesar da CPI do MEC ter perdido força, apoio e assinaturas, eu acho que a histeria vai continuar. Serão seis longos e tenebrosos meses até outubro. Nesta linha, essa oposição imatura e histérica, quase no sentido literal quando falamos de Randolfe Rodrigues, vai seguir a linha que tivemos nos Estados Unidos: tudo foi válido para tentar derrubar Donald Trump. […] Acredito que ainda veremos muitos absurdos nesses seis meses até outubro”, disse Ana Paula.

Confira a íntegra do programa desta segunda-feira, 11: