Ana Paula Henkel diz que Fachin fez ‘trocadilho infame’ e quer desmoralizar Forças Armadas

Comentaristas do programa Os Pingos Nos Is analisaram declarações do presidente do Tribunal Superior Eleitoral

  • Por Jovem Pan
  • 12/05/2022 18h38
Valter Campanato/Agência Brasil Edson Fachin, ministro do Supremo Tribunal Federal Fachin criticou ataques ao sistema eleitoral

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, afirmou nesta quinta-feira, 12, que quem trata das eleições no Brasil são “forças desarmadas” e “nada e ninguém vai interferir” no processo eleitoral.  “Quem trata de eleições são forças desarmadas. Portanto, as eleições dizem respeito à população civil que, de maneira livre e consciente, escolhe seus representantes. Diálogo sim, colaboração sim, mas na Justiça Eleitoral, quem dá a palavra final é a Justiça Eleitoral”, declarou. O ministro disse “quem investe contra o processo eleitoral investe contra a Constituição e contra a democracia”, mas reiterou que não manda e nem recebe recados. “Não se trata de recado, é uma constatação”, afirmou. “A Justiça Eleitoral está aberta a ouvir, mas jamais estará aberta a se dobrar a quem quer que seja tomar as rédeas do processo eleitoral”, acrescentou Fachin.

Ana Paula Henkel, comentarista do programa Os Pingos Nos Is, da Jovem Pan News, criticou as declarações do presidente do TSE e afirmou que ele fez um “trocadilho infame” sobre as Forças Armadas. “É inacreditável a audácia de falar e tentar tirar a legitimidade das Forças Armadas. Nós estamos falando de técnicos super gabaritados que tem como principal função a segurança nacional. E aí vem o ministro Fachin, garoto propaganda da ex-presidente Dilma, querendo desmoralizar as Forças Armadas”, disse. “Nós podemos e vamos criticar o que nós quisermos. Nós ainda estamos em uma democracia e é assim que nós vamos manter o país, sob uma bandeira democrática de uma república séria”, concluiu. 

Assista ao programa desta quinta-feira, 12: