Augusto chama Lula de oportunista: ‘Eleição vai destruir PT e os partidos de esquerda em SP’

Apesar da candidatura de Jilmar Tato pelo PT, comentarista afirma que Lula ‘não está apoiando ninguém’

  • Por Jovem Pan
  • 19/08/2020 21h15 - Atualizado em 19/08/2020 21h16
ReproduçãoSegundo Augusto, a indicação de Tato pelo PT "é o fim da picada"

Com a proximidade das eleições para prefeito e vereador no Brasil, que vão ocorrer em novembro, o comentarista Augusto Nunes, do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, não enxerga outro cenário que não seja a destruição do Partido dos Trabalhadores (PT) em São Paulo, bem como das legendas que orbitam em torno dele. Na visão de Augusto, as candidaturas da esquerda — Guilherme Boulos pelo PSOL e Jilmar Tato pelo PT — são fracas. “Boulos está condenado a um patamar inferior a 1%, é o destino dele. Já o Tato, fora da Tatolândia, ninguém conhece”, afirmou o comentarista.

Para Augusto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não passa de um “oportunista”, que “não está apoiando ninguém”, já que nem foi à reunião que formalizou a candidatura de Tato pelo seu partido. “O sonho é livre, e o Lula, como um bom estrategista, quer empurrar o Tato com os candidatos a vereador pelo PT. Se crescer a candidatura de Boulos e ele for para um segundo turno, o que acho improvável, Lula pode se juntar a ele e colocar os seus candidatos a vereador. Não ta apoiando ninguém e é um oportunista, vai ver o que dá, e vai dar destruição dos partidos de esquerda”, disse o comentarista.

“Tatolândia” é como é chamada o reduto da família Tato que, com Jilmar e os irmãos, dominam a região na zona sul da capital paulista com práticas clientelistas. Segundo Augusto, a indicação de Tato pelo PT “é o fim da picada”. “É o PT que sobrou hoje aqui em SP. O que dá para notar com essa movimentação é que parece que acabou aquela farra entre coligações de partidos diferentes em eleições, todos os candidatos a vereadores apoiando o prefeito”, disse. “E agora me aparecem os que sempre foram serviçais e vassalos do Lula, como a Marilena Chauí, o Chico Buarque, assinando um manifesto em favor da candidatura do Boulos”, completou.