Augusto sobre saída de Toffoli: ‘Termina o mandato do pior presidente do STF’

‘Foi colocado pelo Lula para participar do julgamento do Mensalão, foi advogado da CUT, do PT, da CGU no governo Lula e advogado dos amigos do Supremo’, enumerou o comentarista

  • Por Jovem Pan
  • 04/09/2020 20h24
Bruno Rocha/Estadão ConteúdoToffoli afirmou nesta sexta-feira, 4, que a decisão mais difícil que precisou tomar, durante seu mandato, foi a abertura do inquérito das fake news

“Termina o mandato do pior presidente do Supremo, o que não é fácil ser”, afirmou o comentarista Augusto Nunes, do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, sobre a saída de Dias Toffoli, que passa o cargo na próxima quinta-feira, 10, para o ministro Luiz Fux. Toffoli afirmou nesta sexta-feira, 4, que a decisão mais difícil que precisou tomar, durante seu mandato, foi a abertura do inquérito das fake news. “Disse que foi uma decisão difícil porque ele quis percorrer o caminho ilegal e isso é sempre difícil. Ele que abriu o inquérito e violou a legislação, desmoralizou o Supremo mais uma vez”, afirmou Augusto. A investigação, que apura ofensas a ministros da Corte, foi instaurada pela própria vítima, ou seja, o STF, representado pelo seu presidente.

Segundo o comentarista, Toffoli “nunca teve preparo para ser ministro do STF”. “Foi colocado pelo Lula para participar do julgamento do Mensalão, foi advogado da CUT, advogado do PT, de campanhas do PT, foi da Controladoria-Geral da União no governo Lula e advogado dos amigos do STF”, enumerou o comentarista, completando que, na gestão de Toffoli, “o Supremo se transformou em uma usina de votos democráticos e decisão por empate”.

Para Augusto, Fux vai fazer uma gestão muito melhor à frente do STF, pois é o único juiz. “Toffoli foi reprovado duas vezes no concurso para ingresso na magistratura em São Paulo. No primeiro julgamento ele mostrou que não sabe escrever, em matéria de escrita é uma Dilma do STF. Já vai tarde, mas é uma pena que vai ficar muitos anos ainda no Supremo, porque foi nomeado com 41 anos. Vamos ter que suportar muito ainda a ignorância jurídica e o despreparo de Toffoli”, finalizou o comentarista.