‘Boulos é um Che Guevara da Vila Madalena’, diz Fiuza

Integrantes do MTST invadiram a sede da Bolsa de Valores de São Paulo nesta quinta; programa ‘Os Pingos Nos Is’ comentou

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2021 18h57
FÁBIO VIEIRA/FOTORUA/ESTADÃO CONTEÚDOGuilherme Boulos é coordenador do MTST

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) ocuparam a sede da Bolsa de Valores de São Paulo (B3), no centro da capital paulista, no início da tarde desta quinta-feira, 23. Os ativistas protestaram contra a fome, a desigualdade social, o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a política econômica de Paulo Guedes. A B3 afirmou que o protesto ocorreu de forma pacífica e não afetou as operações do mercado. Nas redes sociais, Guilherme Boulos, coordenador do MTST e candidato à Prefeitura de São Paulo em 2020, parabenizou o movimento pelo protesto. O lucro de uns não pode ser a fome de outros. Parabéns ao MTST pela ação”, escreveu. 

Guilherme Fiuza, comentarista do programa “Os Pingos Nos Is“, da Jovem Pan, afirmou que Boulos é “um burguês” e “um revolucionário de boutique”. “Ele não tem nenhuma conexão com necessidade das pessoas, é um Che Guevara da Vila Madalena”, opinou. “Essa ação espetaculosa serve para um propósito político de um pequeno burguês, isentado por uma mídia pequeno burguesa que quer se fantasiar de revolucionária, mas é apenas ociosa e não tem nenhuma preocupação com as causas populares”, completou. 

Assista ao programa “Os Pingos Nos Is” desta quinta-feira, 23, na íntegra: