‘Brasileiro entendeu que o PSDB é um partido de esquerda’, diz Ana Paula Henkel

Prévias do PSDB para escolher um candidato à Presidência da República ocorrem neste domingo; programa ‘Os Pingos Nos Is’ comentou

  • Por Jovem Pan
  • 19/11/2021 20h28
Reprodução/Twitter/PSDBoficialEduardo Leite, João Doria e Arthur Virgílio disputam as prévias do PSDB por candidatura à presidência

As prévias do PSDB para escolher um candidato à Presidência da República ocorrem no próximo domingo, 21. Concorrem o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, o governador de São Paulo, João Doria, e o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio. Os filiados ao partido vão votar presencialmente ou por um aplicativo. Segundo a sigla, 44,7 mil pessoas se cadastraram para votar, a maioria de São Paulo. O resultado deve sair no início da noite de domingo. No entanto, se nenhum candidato obtiver a maioria absoluta dos votos válidos, um segundo turno será disputado no dia 28.

Ana Paula Henkel, comentarista do programa “Os Pingos Nos Is“, da Jovem Pan News, afirmou que é difícil tirar as primárias do PSDB do contexto político nacional. “Desde 2018, quando Bolsonaro foi eleito, vimos quantos políticos foram eleitos governadores, deputados, senadores, na onda dele. Ficou muito explícito que João Doria conseguiu o Governo de São Paulo nessa onda, assim como a deputada Joice Hasselmann, entre outros. Três anos se passaram, muitas máscaras caíram”, disse. “O brasileiro entendeu que o PSDB é um partido de esquerda, e não adianta dizer que não, porque as ações não condizem com a retórica do passado. O brasileiro acreditou que seria um partido de políticas liberais na área social e econômica, mas o tempo mostrou que não é bem assim”, completou.

Assista ao programa “Os Pingos Nos Is” desta sexta-feira, 19, na íntegra: