Cristina Graeml: Não cabe mais julgar Roberto Jefferson eternamente por crimes do passado

Ministro Alexandre de Moraes manteve a prisão do presidente do PTB; programa ‘Os Pingos Nos Is’ comentou a decisão

  • Por Jovem Pan
  • 31/08/2021 19h27 - Atualizado em 31/08/2021 21h06
Valter Campanato/Agência BrasilDefesa de Roberto Jefferson pediu prisão domiciliar por problemas de saúde

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), manteve, nesta terça-feira, 31, a prisão preventiva do ex-deputado federal Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB. O magistrado rejeitou o argumento dos advogados de defesa, que pediram que o político fosse transferido para a prisão domiciliar em razão de seu estado de saúde. Ele está preso desde o dia 13 de agosto. A decisão ocorre um dia depois de a Procuradoria-Geral da República (PGR) apresentar denúncia contra o ex-deputado sob acusação de incitação a crimes contra a segurança nacional, homofobia e calúnia contra o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Em sua participação no programa “Os Pingos Nos Is“, da Jovem Pan, a comentarista Cristina Graeml afirmou que Roberto Jefferson é um senhor de idade, que não oferecia riscos à sociedade e que foi preso sem passar pelo devido processo legal. “Não olhar para um caso de saúde de uma pessoa de idade é  no mínimo falta de empatia, como essa turma sempre adora dizer”, opinou. Cristina também disse que Roberto Jefferson não pode continuar sendo julgado por crimes que cometeu no passado. “Teve envolvimento com corrupção, foi condenado, cumpriu sua pena. É um criminoso, corrupto e condenado que já cumpriu a pena e está livre. Ele pagou o que devia à Justiça. Não cabe mais julgá-lo eternamente por crimes do passado”, afirmou. 

Assista ao programa “Os Pingos Nos Is” desta terça-feira, 31, na íntegra: