‘Já pensou se o STF tivesse a mesma agilidade em relação aos processos da Lava Jato’, questiona Ana Paula

Comentaristas do programa Pingos nos Is, da Jovem Pan, analisaram o sorteio do Supremo Tribunal Federal que definiu a ministra Rosa Weber como relatora das ações contra perdão a Daniel Silveira

  • Por Jovem Pan
  • 22/04/2022 19h32
Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil Rosa Weber A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, foi escolhida como relatora da ação que pede a suspensão do indulto presidencial a Daniel Silveira

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi sorteada nesta sexta-feira, 22, como a relatora da ação impetrada na Corte que pede a anulação do indulto presidencial cedido por Jair Bolsonaro (PL) ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ). O parlamentar foi condenado por suposta tentativa de impedir o livre exercício dos poderes e coação no curso do processo. A Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental, chamada de ADPF, é da Rede Sustentabilidade e o partido pede que seja concedido uma liminar que suspenda o decreto e que o caso seja analisado pelo plenário do Supremo no futuro.

Durante sua participação no programa Pingos nos Is, da Jovem Pan, a analista Ana Paula Henkel afirmou que os ministros do STF poderiam ter a mesma agilidade nos processos a Lava Jato e de políticos corruptos. “Renan Calheiros teve, em um determinado momento na minha pasta, cheguei a contar 21 processos e essa celeridade simplesmente não existe”, argumenta. A analista também aposta na mudança da jurisprudência da Corte neste caso, porque “eles [os magistrados] não respeitam a Constituição, não respeitam votos antigos, não respeitam a decisão de outras Cortes inferiores”.

Confira o programa desta sexta-feira, 22: