Johnson virou ‘mocinho’, é o Ocidente lutando contra a barbárie do ditador russo, ironiza Fiuza

O presidente Jair Bolsonaro e o primeiro-ministro do Reino Unido conversaram por telefone e concordaram sobre um cessar-fogo na Ucrânia; programa Os Pingos Nos Is comentou

  • Por Jovem Pan
  • 03/03/2022 20h52
Will Oliver/EFE boris johnson Boris Johnson defendeu cessar-fogo na Ucrânia

O presidente Jair Bolsonaro (PL) e o primeiro-ministro do Reino UnidoBoris Johnson, conversaram por telefone nesta quinta-feira, 3, e concordaram sobre um cessar-fogo na Ucrânia. Em comunicado, o governo britânico informou que Johnson disse ao presidente brasileiro que a invasão ordenada pelo presidente russo, Vladimir Putin, “não pode ser bem-sucedida”, e enfatizou que “civis inocentes estão sendo mortos e cidades estão sendo destruídas”. O primeiro-ministro também elogiou o posicionamento do Brasil na Organização das Nações Unidas (ONU).

Durante sua participação no programa Os Pingos Nos Is, da Jovem Pan News, o comentarista Guilherme Fiuza ironizou o posicionamento de Boris Johnson em relação à guerra. “Boris Johnson virou mocinho. É o Ocidente, democrático, civilizado, que está lutando contra a barbárie do ditador russo. Não é mais assim. Infelizmente, essa autoridade moral chamada de Ocidente ruiu. O presidente brasileiro está no papel dele, a diplomacia pragmática brasileira vem de outros governos”, opinou. “O contraponto do que seria o Ocidente dos pilares civilizatórios e da defesa intransigente da liberdade está ruído. Ele ruiu com essas concessões às práticas desumanas durante a pandemia”, concluiu. 

Assista ao programa Os Pingos Nos Is desta quinta-feira, 3: