Mayra Pinheiro pede indenização por danos morais a Omar Aziz

Em entrevista exclusiva ao programa ‘Os Pingos Nos Is’, da Jovem Pan, a secretária do Ministério da Saúde disse que o senador cria uma narrativa mentirosa

  • Por Jovem Pan
  • 26/07/2021 20h27 - Atualizado em 26/07/2021 20h51
MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO - 25/05/2021Mayra Pinheiro deu entrevista ao programa 'Os Pingos nos Is'

Mayra Pinheiro, secretária do Ministério da Saúde, afirmou que entrou na Justiça nesta segunda-feira, 26, para pedir indenização por danos morais ao senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid-19. Em entrevista exclusiva ao programa “Os Pingos Nos Is“, da Jovem Pan, a médica disse que seus dados foram vazados pela Comissão e que foi “desrespeitada, assediada e interrompida inúmeras vezes” por quase todos os senadores de oposição durante seu depoimento no dia 20 de maio. “Não bastasse o desrespeito com a quebra do meu sigilo e a divulgação dos dados, o senador Omar Aziz continua dando entrevistas e criando uma narrativa mentirosa, dizendo que eu sou desqualificada tecnicamente”, disse. Na ação, Mayra também pede que, caso seja convocada para depor à CPI novamente, Aziz seja impedido de participar da sessão. 

Na entrevista, a médica voltou a declarar que não cometeu nenhum crime e criticou a prorrogação da Comissão. “Desde o início o que nós assistimos ali não é uma CPI para apuração de competência do Ministério da Saúde, a gente está vendo uma construção de narrativas”, afirmou. “Agora, com a prorrogação da CPI, são mais meses em que a população deixa de ter o ministério direcionado para o cumprimento das suas competências para ficar gastando energia e satisfazendo o ego de pessoas que querem construir narrativas com objetivo puramente político”, completou. Mayra disse ainda que os senadores tentam desqualificar seu trabalho e o de toda categoria médica. “Além de ser uma médica que não tem medo de defender sua autonomia e que é apoiada pela sua categoria, eu estou dentro do governo Bolsonaro, e isso irrita essas pessoas que tiveram como prática a ideia de que eles podem calar todo mundo que pensa diferente do que eles”, defendeu. “Foram muitas narrativas tentando me desqualificar, mas o tiro vem saindo pela culatra”, completou. Questionada se pretendia concorrer a algum cargo político no próximo ano, Mayra disse não descartar a possibilidade. A médica, no entanto, afirmou que sua prioridade é terminar o trabalho no Ministério da Saúde. 

Assista a entrevista completa no programa “Os Pingos Nos Is” desta segunda-feira, 26: