Não estão preocupados com crime no Whatsapp, mas em silenciar Bolsonaro e apoiadores, diz Ana Paula

Presidente do TSE se encontrou com o chefe do Whatsapp para discutir medidas para as eleições; programa Os Pingos Nos Is comentou

  • Por Jovem Pan
  • 27/01/2022 19h27
Creative Commons/Microsiervos redes sociais Whatsapp discute medidas para controlar fake news nas eleições

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Luís Roberto Barroso se reuniu com o chefe do Whatsapp, Will Cathcart, para debater as ações que serão implementadas para combater desinformação durante as eleições deste ano. A parceria prevê o desenvolvimento do assistente virtual oficial do TSE no aplicativo, com o objetivo de facilitar a comunicação com os eleitores. Também será criado um canal de denúncias para contas suspeitas de realizar disparos em massa.

Para Ana Paula Henkel, comentarista do programa Os Pingos Nos Is, da Jovem Pan News, o caminho que está sendo trilhado no Brasil em relação às redes sociais é o mesmo dos Estados Unidos. “A grande diferença é que aqui nos Estados Unidos existe um Judiciário que não se mete muito nas liberdades individuais, a liberdade de expressão é muito sagrada aqui, e levada a sério de uma maneira cotidiana. No Brasil infelizmente nós temos o STF que simplesmente rasgou a Constituição”, afirmou. “Semana passada eu comentei aqui que o presidente Bolsonaro twittou dizendo que lançaria o aplicativo dele. Eu vi há dois dias que o PDT já entrou com uma ação contra o APP. Ou seja, não é questão de preocupados com o Whatsapp, com o crime no Telegram, a preocupação é silenciar o presidente Bolsonaro e os apoiadores”, completou. 

Assista ao programa Os Pingos Nos Is desta quinta-feira, 27, na íntegra: